segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Uma brisa entrou pela minha janela me despertou desta letargia e me invadiu os sentidos, a pele, a mente...
E a noite ficou deliciosamente perturbadora...

Uma brisa tocava no teu rosto
Uma brisa tocava no teu rosto
Tu me olhando e pedindo
Com aquele rostinho de eu quero
Com aquele jeito provocante
Um desejo nascia naquele momento
Cheguei de mansinho por trás de ti
E com segundas intenções
Passei a mão nos teus seios
O meu corpo tremeu como se um vulcão
explodisse dentro de mim
Encostei a minha boca na tua nuca
e beijei aquela pele quente
As minhas mãos tiravam a tua blusa
e deixavam parte do teu corpo à mostra
Passei a minha língua nas pontas dos teus seios
Sugava-os desejando o teu néctar de fêmea
Ouvia os teus gemidos
e sentia uma tesão me invadindo
Continuava brincando com os teus seios
como uma criança insatisfeita
Desejava perpetuar este momento,
desfrutar do teu corpo
Sentei-me na cadeira ao lado
e te trouxe para o meu colo
Sentaste de frente para mim,
deixando os nossos sexos colados
Separados apenas pelas nossas roupas íntimas
A tua boca inquieta contornava a minha boca,
procurando alguma coisa...
Os nossos corpos não paravam
e um ritmo alucinado aumentava a nossa tesão
Deixava a tua boca comandar nosso show
Atrevida,
percorrias meu corpo indócil e impaciente
Agora a tua língua percorria meu peito
e sentia a tua boca me mordendo
Percorrias a minha barriga ate chegar ao meu sexo
Sentia a tua boca beijando-o,
suave e vagarosamente
Às vezes tu o colocavas na tua boca,
como a experimentar o seu sabor
Deixavas-o molhado e teso
como nunca o fizera antes
Passavas as tuas mãos entre as tuas pernas
e molhavas os dedos,
colocando-os de seguida na minha boca
para sentir o gosto do teu sexo
Sentia-me alucinado
e te desejava possuir a qualquer custo
Mas tu não tinhas pressa
E como a me provocar mordiscavas minhas coxas
deixando suas marcas no meu corpo
Deitaste-te no chão
e com os braços abertos me chamavas
A minha boca alucinada
e perdida nas trocas de beijos
Procurava então o teu sexo e
experimentava o teu gosto
Suguei o teu néctar
e beijei o teu sexo para ouvir os teus gemidos
Agora era eu que não tinha pressa
Desejava ficar ali beijando o teu sexo
até que minha boca parasse
Ouvia-te pedindo para continuar
brincando contigo
Beijei as tuas coxas para te ouvir gemer
Mas a tesão era demais e não mais suportava
E num gesto louco e alucinado
te penetrei lentamente
Ouvia a tua voz dizendo que me querias todo,
que me desejavas e que eras só minha
Tirava e colocava o meu membro no teu sexo
vagarosamente
Experimentávamos outras posições,
preocupados em dar o máximo prazer ao outro
Eu te desejava
e tu me chamavas com teu corpo carinhoso
Sentíamos assim o prazer de percorrer nossos corpos
Não desejava gozar naquele momento
Desejava apenas te possuir
como uma loba faminta
Sentir o meu membro percorrendo o teu sexo
Me embriagar deste momento
Mas não suportávamos mais de tesão
E numa loucura de desejos ouvi o teu gemido
Sentia-te a gozar como nunca
E naquele vai e vem
sentia que estava a chegar minha hora
de molhar o teu sexo já todo húmido
Gozei como nunca o fizera
Sentia o mundo cair sobre mim
Um cansaço gostoso invadia nossos corpos,
agora exaustos
Puxei-te para os meus braços
e um beijo terminou nossa linda aventura
Transformando em uma
as almas que se tocaram.
Pedro Miguel Peixoto