terça-feira, 12 de julho de 2011

Ausência


Há sítios onde me perco sempre…

Os caminhos da tua ausência são labirínticos
E parecem infindáveis,
Tal como os meus passos, quando os percorrem
Procurando ecos de ti.

Sinto-te perto na ausência
Porque a tua ausência não sou eu sem ti.
És tu espalhada, por todos os espaços.
Pedaços de ti, por entre todas as coisas.

A tua ausência:
A exacta medida,
Do espaço,
Que separa,
Os teus lábios dos meus.


Brain in Taradisses