sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Sede


Estou cheia de sede.
Vem...
Dá- me agua da tua boca!
Percorre-me o corpo com um cubo de gelo!
Depois por onde correm as gotas de agua, passas a tua lingua...
A tua boca chupa com avidez cada gota de agua que escorre pela minha pele e o meu corpo pede mais e mais...
Que arrepio gostoso.
Vem...
Mata a minha sede!