sexta-feira, 13 de março de 2009

Sexta Feira 13

Vejo-te aparecer por entre a multidão, concentrado, olhos que vagueiam pela sala, procuras-me. Adoro ver-te assim, observar-te, sem que me percebas, os meus olhos percorrem o teu corpo e os meus dedos percorrem os teus contornos. Toco-te em pensamento, olho.te à distancia, aprecio o teu olhar o teu caminhar e um sorriso aflora aos meus lábios, meus olhos devem estar brilhantes e o meu coração salta louco, nesta vontade de correr para ti e me apertar em teus braços. Deves sentir-me e reparas em mim. Olhas-me, sorris, dirigiste-te a mim, adoro esse sorriso. Amo esse olhar de desejo. Percorremos o corredor e a distancia entre nós é anulada pelos toques que nos damos. Dissimulamos o desejo, só nós o sabemos.
E assim que é possivel, assim que os olhares indiscretos desaparecem, um abraço forte e quente nos envolve e os teus lábios tomam os meus. O beijo é doce e calmo, quente e esfomeado, e em nós uma corrente de emoções se assoma, e não queremos parar.
Como é bom ter-te assim, ainda que por breves instantes. Ainda que fugidos dos olhares indiscretos.
Dia de azar?
Não! Foi o dia de maior sorte desde há uns tempos.
Adoro-te!