segunda-feira, 2 de maio de 2011



O meu mundo não é como o dos outros, quero
demais, exijo demais há em mim uma sede de
infinito, uma angústia constante que eu nem
mesma compreendo, pois estou longe de ser
uma pessoa sou antes uma exaltada, com
uma alma intensa, violenta, atormentada,
uma alma que não se sente bem onde está,
que tem saudade… sei lá de quê!

(Florbela Espanca)